quinta-feira, 24 de março de 2011

Certidão Negativa INSS...... L-I-B-E-R-A-D-A

MINISTÉRIO DA FAZENDA
Secretaria da Receita Federal do Brasil
CERTIDÃO NEGATIVA 
DE DÉBITOS RELATIVOS ÀS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS E ÀS DE TERCEIROS
Nº 025412011-20024050
Nome: COOPERATIVA DOS CATADORES DE MATERIAL RECICLAVEL DE SAO
CNPJ: 06.038.907/0001-26

Ressalvado o direito de a Fazenda Nacional cobrar e inscrever quaisquer dívidas de responsabilidade do sujeito passivo acima identificado que vierem a ser apuradas, é certificado que não constam pendências em seu nome relativas a contribuições administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e a inscrições em Dívida Ativa da União (DAU).

Esta certidão, emitida em nome da matriz e válida para todas as suas filiais, refere-se exclusivamente às contribuições previdenciárias e às contribuições devidas, por lei, a terceiros, inclusive às inscritas em DAU, não abrangendo os demais tributos administrados pela RFB e as demais inscrições em DAU, administradas pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), objeto de Certidão Conjunta PGFN/RFB.

Esta certidão é valida para as finalidades previstas no art. 47 da Lei nº 8,212 de 24 de julho de 1991, exceto para:

- averbação de obra de construção civil no Registro de Imóveis;
- redução de capital social, transferência de controle de cotas de sociedade limitada e cisão parcial ou transformação de entidade ou de sociedade sociedade empresária simples;
- baixa de firma individual ou de empresário, conforme definido pelo art.931 da Lei nº 10.406, de 10 de Janeiro de 2002 - Código Civil, extinção de entidade ou sociedade empresária ou simples.
A aceitação desta certidão está condicionada à finalidade para a qual foi emitida e à verificação de sua autenticidade na Internet, no endereço <http://www.receita.fazenda.gov.br>.

Certidão emitida com base na Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 01, de 20 de janeiro de 2010.

Emitida em 24/03/2011.
Válida até 20/09/2011.

Certidão emitida gratuitamente.

Atenção:qualquer rasura ou emenda invalidará este documento. 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 13 de março de 2011

2º TURNO DE TRABALHO

A POPULAÇÃO ATENDEU 

Esta semana, graças à grande quantidade de material reciclável que vem chegando à COOPERCATSBS, a Presidente anunciou que 2ª feira dia 14/03/2011 inicia um SEGUNDO TURNO DE TRABALHO, através da adesão de 09 novos cooperados. 

Contudo, não há garantias de até quando o segundo turno de trabalho vai acontecer. Dependerá da quantidade de material que chegará na cooperativa continuamente nas próximas semanas, nos próximos meses. Hoje, toda área de depósito dos materiais que chegam à cooperativa está lotada, o que exige INTENSIFICAR A OPERAÇÃO DE TRIAGEM, com a absorção de 09 (nove) novos cooperados. Mas, se o material reduzir, em no máximo duas semanas de turno extra, será necessário dispensar os novos cooperados. Daí a importância de a população continuar separando os materiais, promover a conscientização, resolver os problemas diários que resultem em travas para o fluxo dos resíduos sólidos.



A exemplo, hoje me vi diante da seguinte situação: pedi ao meu marido para levar o lixo no cesto da rua, para a coleta da segunda feira. Para mim, era óbvio que ele sabia que devia levar o lixo reciclável, não o lixo comum para coleta, pois amanhã é 2a. feira - DIA DA COLETA SELETIVA NO CENTRO (onde moramos). Humm... mas não era tão óbvio para ele, que desatendo, levou todo lixo comum para o cesto na rua...

Sabemos que se tiver lixo comum misturado com lixo reciclável, a empresa concessionária dos serviços NÃO CARREGA O LIXO, nenhuma parte, pois não tem atribuição de separá-lo, apenas coletar. E coletar tudo resultaria em uma grande quantidade de rejeito...  

Fazer o quê? Era o fim da tarefa de domingo, mas, lá fomos nós, RECOLHER novamente todo lixo comum, e levar todo lixo reciclável no cesto...

Aproveitei e colei no cesto um aviso (envolto num plástico, protegido da chuva...), para ajudar meus vizinhos a lembrar: 

"CENTRO - 2ª feira - DIA DA COLETA SELETIVA - somente lixo reciclável".

Que tal fazer o mesmo no cesto coletivo na sua rua? 

Peça para as crianças participarem na confecção de um cartaz!!!
Bom domingo de descanso!


quarta-feira, 9 de março de 2011

DÚVIDAS DA COMUNIDADE

Recebemos hoje, e-mail de uma pessoa da comunidade, com algumas dúvidas, que acreditamos ser comuns à todos, e procuramos esclarecer:

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "E 2011, COMEÇAMOS BEM?": 

Não faço a separação do lixo ainda, mas gostaria de começar.
Já busquei no blog mas não achei respostas para algumas duvidas:
É preciso apenas separar o lixo ou lavar as embalagens?
Posso colocar em qualquer sacola, que no dia da coleta programada para o meu bairro o coletador irá identificar que é lixo reciclável?
Posso deixar o lixo na mesma cesta do lixo comum?
Por gentileza, se for possível esclarecer as minhas dúvidas.
Obrigada. 



Olá.

Muito comuns as Tuas dúvidas. Não se identificou, terei de supor que seja morador de São Bento do Sul, para poder explicar o sistema de coleta em nossa cidade. Outros municípios podem adotar sistemas diferentes, vamos lá:

1) É preciso apenas separar o lixo ou lavar as embalagens?
Você pode optar por apenas separar o lixo. Mas, não é o meu conselho. Ao desempacotar frutas, compras em geral, procure evitar molhar estes plásticos e papel, já dispondo direto para reciclagem. Quanto às demais embalagens, o ideal é que lave, pois terá de acumular por alguns dias, até chegar o dia da coleta seletiva. 
A dica que dou para todos é colocar as embalagens junto com as louças do dia a dia para lavar, quando vê, já está acostumado, e o hábito é irreversível. Para não se chatear, já que está iniciando a prática, comece lavando somente as embalagens tais como: refrigerante e latinhas, que é só passar uma água...  Depois, avance, passando a lavar também as caixas de leite, as embalagens de isopor, as garrafas de vidro, que é só passar uma esponja e sabão... Quando vai ver, terá resistência em descartar tudo, pois verá que tudo é reciclável... A prática que eu adotei é de lavar tudo, secar tudo, e jogar numa grande caixa (ou num gavetão) até o dia de coleta, quando empacoto tudo e disponho no cesto na rua. 

Além do aspecto da higiêne, o material desta forma não vai atrair moscas, azedar e gerar odores. Se disposto limpo, é um produto de "melhor qualidade" para comercialização na cooperativa. Para entender: se os sucateiros identificam, por exemplo, que as garafas pet ou latinhas de refrigerante tem um tanto de líquido no fundo, este líquido pesa, e gera prejuízos para quem está comprando o material e pagando em kg. Então, acabam arredondando o valor da venda para baixo... Diferente se verificam que todo material está limpo, seco, podem pagar um pouquinho melhor. É apenas um exemplo.

2) Posso colocar em qualquer sacola, que no dia da coleta programada para o meu bairro o coletador irá identificar que é lixo reciclável?  e 3) Posso deixar o lixo na mesma cesta do lixo comum?

Sim, pode colocar em qualquer sacola. Nos dias de coleta, basta dispor o lixo e a empresa vai coletar. 

Mas... a empresa deixará de coletar TODO o lixo do cesto, se identificar que no dia da coleta seletiva, há outros lixos misturados... É um problema e um prejuízo... Criticamos a forma como a Transresíduos "decidiu" proceder, justificando que estava recolhendo muito material orgânico. A bem da verdade, compete ao SAMAE fiscalizar isso. Para ter uma idéia, nesta última segunda feira (dia de coleta no Centro, bairro onde eu moro), todas as quatro famílias moradores da rua onde moro (compartilhamos o mesmo cesto no início de uma ruela sem saída) colocaram várias sacolas de material para ser recolhida pela Transresíduos. Mas, alguém quebrou um pequeno galho de uma árvore que estava incomodando o trânsito da rua, e colocou no cesto de lixo... Eu já sabia qua empresa não iria recolher o material por conta daquele galho, mas deixei lá só para "testar", e NÃO RECOLHERAM mesmo!!! Talvez tenhamos que por uma placa no cesto infomando: "hoje é segunda feira, não coloque outros lixos que não material reciclável neste cesto neste dia!"... ou temos que por uma placa para Transresíduos, com uma flecha vermelha indicando: aqui, hoje, somente material reciclável, não deixe de recolher... Entenda, não é culpa da Cooperativa, mas da empresa concessionária dos serviços de coleta. Se isso acontecer, deve ligar para o nº 0800-644-1082 e reclamar, afinal, estará fazendo um esforço de separar, lavar, dispor o lixo no dia certo, para ao final acabar indo para o aterro, não podemos nos conformar, temos que exigir um serviço 100%.

É um prazer esclarecer, realmente, o blog estava pecando em não publicar nada a respeito. E por favor, comece a separar o material reciclável quanto antes. Estará cumprindo seu papel de cidadão comprometido com a causa ambiental e social. 

Muito obrigada pelo seu contado!

Att.

Auristela Bauer Kolenez

domingo, 6 de março de 2011

E 2011, COMEÇAMOS BEM?

A experiência nos ensinou que não podemos comparar a evolução das vendas de mês para outro, pois em determinado mês uma venda pode ser baixa, porque estão sendo acumulados os produtos para uma venda maior no mês seguinte. Mas, como gostamos de comemorar, vamos fazer uma ou outra análise:

Acompanhe item a item na planilha: Histórico Produção 2011   Histórico de Produção 2010

Em fev/2011, a venda total da Coopercatsbs foi de 30.590 kg, por R$ 9.739,00. O preço médio portanto R$ 0,32 o kg. A renda média dos cooperados foi de R$ 413,89 (bruto, abaixo do salário mínimo de fev/11 R$ 545,00!). Positivo é que todos os cooperados, pelo segundo mês consecutivo, contribuíram com a Previdência Social.

Vamos destacar o que mais há de bom, comparando com os nº de ano para outro:

                                                          fev/2010          fev/2011        POSITIVO:
Total kg vendidos                                21.625             30.590         aumento 41%
Total venda em $                              R$ 7.491,00   R$ 9.739,00     aumento 30%
Nº horas trabalhadas                           3.316 h            3.024 h         reduziram o nº de horas, e aumentaram as vendas, maior produtividade?


------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em jan/2011, a venda total foi de 30.872 kg, por R$ 10.479,38.  O preço médio portanto R$ 0,34 o kg, e a renda média dos cooperados ficou em R$ 445,37 (bruto, abaixo do salário mínimo de jan/11 R$ 540,00!). E esta é a melhor renda média desde que a Coopercatsbs perdeu os caminhões de Coleta Seletiva das terças-feiras para a CooperCruzeiro.

O que há de bom para destacar:
                                              Jan/2010          Jan/2011        POSITIVO:
Total kg vendidos                     32.872              30.872                não há            
Total venda em $                R$ 7.088,00       R$ 10.479,38     aumento 47% significa que conseguiram negociar preços melhores?, ou a venda do mês foi de produtos mais rentáveis relativamente à 2010?
Nº horas trabalhadas                  2.786 h           3.880 h         trabalharam mais horas, agregaram valor às vendas?
---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Uma grande variável no PESO em fev/11 foi a venda de 4.800 kg de cacos a R$ 0,05 o kg. Os PREÇOS dos produtos em kg em fev/11 diminuíram em relação à jan/11 para os seguintes produtos: - 0,05 o kg do "branca"; - 0,25 o kg do "leitoso"; - 0,05 o kg do "transp.", perda total pela queda no preço: R$ 211,30.  Contudo, o preço do ferro aumentou R$ 0,05, incrementando R$ 120,00. Vender 60 kg de latinhas à R$ 2,20 recuperou outros R$ 132,00.


Alguém pode dizer que o "lixo" não merece estas análise tão miudinhas. De fato, passa ano, passa mês, não conseguimos chegar à conclusões definitivas, certeiras, resultados extraordinários na produtividade, eficiência, especialmente porque o volume de material vendido não tem relação com o valor total da venda, e a contribuição de cada item no produto final é pequena. Muitos detalhes, muitas variáveis. Porque ainda assim nos esforçamos? Para deixar a mensagem aos cooperados: É ISSO AÍ, SEMPRE EM FRENTE, PEQUENAS CONQUISTAS A CADA DIA! 
Comentar sobre estas conquistas também é forma de a Cooperativa agradecer à comunidade por separar o lixo
.

sexta-feira, 4 de março de 2011

A CEBOLA E A SALSA - O MILAGRE DA HORTA

Que boa escolha a Campanha da Fraternidade este ano: "Fraternidade é a vida no Planeta".

Sou católica, então agora, fazendo um trocadilho,  poderei dizer... Sobre a preservação do meio ambiente? Sou "católica no assunto"...  Brincadeira à parte, o envolvimento da Igreja ainda tem grande impacto nas nossas decisões diárias... E se temos dúvidas sobre isso, é que faz tempo não ouvimos um bom sermão...

Parabéns à toda equipe do Hospital e Maternidade Sagrada Família pelo comprometimento com as questões ambientais!

Focando o objetivo deste Blog especial parabenizamos pelo destino adequado do lixo: reciclável para cá, orgânico para lá, e a incinerar no outro canto. Mais especificamente ainda... Muito bom!!! saber da utilização do Lixo Orgânico na Horta - a importância deste exemplo!, explico...

À pouco mais de vinte anos, ainda era comum as famílias, mesmo no Centro em São Bento do Sul terem pequenas criações: umas codornas, talvez até um porquinho, em cada casa um galinheiro e quintal, donde se provia o sustento da família (e de onde saiam os morangos deliciosos, pequenos, inigualáveis...)

Não sabemos bem quando aconteceu, mas ficamos conhecendo da proibição de ter este tipo de criação no Centro da cidade, e desde então, raros casos de criações são encontrados... As hortas também foram minguando... Sumindo... 

Tempos depois, também ficamos sabendo que não devíamos mais enterrar o lixo naquele resto de quintal, porque poderia atrair pragas e que a ordem é mandar para o aterro sanitário. E assim, de dito em dito (ou de lei em lei, claro, aliado a outros fatores...), vamos criando novas crianças que sem quintal... talvez mal venham a saber um dia a diferença entre a cebola e a salsa... Não me surpreenderia um jovem da nova geração perguntar: "Quintal, o que é isso?"

Conhecer que, em pleno Centro da cidade, o lixo orgânico se transforma na linda horta que podemos ver aos fundos do Hospital, quando estamos na praça, é ao menos um alento.

 É preciso quanto antes começarmos a aproveitar o lixo orgânico para incentivar a agricultura familiar, resgatar a tradição dos quintais, pedir mães, pais, tios, avós, que nos ensinem a magia dos temperos e chás, utilizar o produto da compostagem nos jardins públicos  e particulares, fazer o milagre da horta.

O resgate da tradição, pela influência da religião.  Oremos a Deus que abençoe as nossas preces. Amém.


Clique para ampliar

quinta-feira, 3 de março de 2011

Arrecadação da Taxa de Coleta de Lixo

Recebemos hoje do Departamento de Contabilidade da Prefeitura Municipal de São Bento do Sul, em resposta à nossa solicitação, o histórico de Arrecadação da Taxa de Coleta de Lixo, objetivando comparar o valor arrecadado com o gráfico já publicado anteriormente aqui no Blog: GASTOS COM COLETA DE LIXO EM SÃO BENTO DO SUL.

Segundo a Sra. Ingrid Ap. R. Stiegler "hoje o que se arrecada mensalmente cobre o valor dos serviços prestados".

clique para ampliar

Não é à mesma conclusão que chegamos observando a planilha acima. Talvez a Diretora esteja falando "hoje", como hoje mesmo, 02/03/2011, pois até ontem, a ARRECADAÇÃO, ANO APÓS ANO, ao longo de 05 (cinco) anos, foi INSUFICIENTE para cobrir as despesas com a COLETA DE LIXO. 

Esta análise sugere ficarmos todos atentos à necessidade de AUMENTAR o valor da Taxa de Coleta de Lixo, intensificar ações de cobrança dos inadimplentes da taxa, ou contratar um serviço de coleta mais barato.

A menos que a população consiga reduzir a produção de lixo, de hoje para amanhã... DRASTICAMENTE...

Mas, quem disse que não podemos conseguir? O esforço de cada um neste sentido, ou a mão no bolso para pagar mais caro o serviço.

Obrigada, Ingrid, pelas informações:

Bom dia, Auristela
Seguem valores das taxas arrecadadas de limpeza pública no últimos cinco anos.
ARRECADAÇÃO DA TAXA DE COLETA DE LIXO
2006 – R$ 1.607.924,18
2007 – R$ 2.219.676,46
2008 – R$ 2.152.003,92
2009 – R$ 2.416.512,11
2010 – R$ 2.625.011,24
TOTAL ÚLTIMOS 5 ANOS: R$ 11.021.127,91
Hoje o que se arrecada mensalmente cobre o valor dos serviços prestados, para uma análise do passa necessitamos de mais levantamentos o que demanda tempo, caso ache necessário o faremos.
Obrigado
Ingrid



terça-feira, 1 de março de 2011

Equívocos descartáveis

Colaboração do amigo Sr. Donald Maschitzky para o Blog, artigo publicado no Jornal A Gazeta dia 28/02/2011.

Muito obrigada por participar neste assunto!


Equívocos descartáveis
O ser humano se transformou em uma usina produtora de lixo. Quando foi a última vez que você consumiu qualquer alimento que não estivesse embalado de alguma forma? Questão de higiene, dirão uns; de praticidade, argumentarão outros. Será? E quando essas embalagens não existiam?
            Sim, o homem cria embalagens há milhares de anos, o que, de certa forma, ajudou a assegurar sua continuidade. Mas, como era um processo trabalhoso quando as matérias primas eram o couro e algumas plantas, usava-as até se deteriorarem. E isso demorava, posto que consertos eram feitos quando sua utilidade ficava prejudicada.  A evolução trouxe tecnologias, novos materiais e enormes facilidades, o que, misturado com a natural preguiça e o abominável egoísmo, substituto não natural da necessidade da sobrevivência da espécie, criou um produto explosivo: o ser humano irresponsável.
            Essa irresponsabilidade se manifesta de todas as maneiras, centenas ou milhares de vezes ao dia. Vai de andar em zigue-zague no trânsito, sem se importar com o potencial de perigo em cada manobra a deixar a torneira aberta por longos minutos, sem a mínima necessidade.  É patente no que procuram batizar de conforto, mas que é uma agressão ao presente e ao futuro: o uso indiscriminado e desnecessário de embalagens e seu descarte “cômodo”: jogou na lixeira, sumiu...
            Há um equívoco enorme na questão, por exemplo, das sacolas em estabelecimentos comerciais. Não se trata apenas de acabar com as famigeradas sacolas plásticas frágeis e ridículas; trata-se de reduzir drasticamente a produção de lixo. Esse é o primeiro passo, e o mais importante. Embalagens de papel se decompõe muito mais rapidamente e também são recicláveis. Mas o processo de reciclagem é muito custoso, mesmo falando em custo ambiental, e, antes de se decomporem, farão parte do volume de lixo. Outros produtos trazem outros problemas. A solução que está na cara é a antiga, a que funcionou por milhares de anos: a reutilização. Embalagens reutilizáveis e consertáveis que, ao final, ainda podem ser recicladas estão aqui, ao alcance das nossas mãos. É só usá-las.
            Educação e leis ajudam a minimizar o problema, mas, será que interessa fazer leis que prejudicam “interesses”?

Pesquisar neste blog