Pesquisar neste blog

sexta-feira, 7 de julho de 2017

SOS Rio Limpo é realizado como programação do Mês do Meio Ambiente

SOS Rio Limpo é realizado como programação do Mês do Meio Ambiente

DATA DE INCLUSÃO: 07/07/2017 14:17
Durante esta sexta-feira uma força tarefa envolvendo a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente através da diretoria de Meio Ambiente, secretaria de Obras, Defesa Civil, Vigilância Sanitária e Samae retomou o programa SOS Rio Limpo.
O Programa SOS Rio Limpo aborda em específico os rios e os moradores ribeirinhos, em situações onde a poluição compromete a saúde das pessoas, a diversidade de fauna e flora aquática e os recursos naturais. 
Ainda são considerados de atenção em relação a poluição de rios, o custo de maior valor investido para tratamento de água, quando este está destinado para abastecimento público.
O envolvimento da comunidade local é essencial para a formação de educação ambiental e cultural, onde as ações de melhoria devem ser adotadas pelas comunidades, que são as primeiras afetadas pela interferência na qualidade de vida. Estes são envolvidos a participar como monitores ambientais, adequando seu sistema de fossa séptica e filtro além de denunciar o lançamento de poluentes, contaminantes e resíduos nos rios.
Retomada - Conforme relatou o diretor de Meio Ambiente Marcelo Huebl, "a retomada do SOS Rio Limpo tem por objetivo trazer a comunidade para junto do programa e estimular a conscientização de todos para com o meio ambiente", disse.
Marcelo também relatou que nesta força tarefa realizada no rio Banhados, no bairro Centenário, foram recolhidos gaiolas, pneus, garrafas, lonas, latas, tapetes, banco de carro, sofá, forro de PVC, sacolas, garrafas, desodorantes, roupas, calçados, telas de arame, pedaços de ferro, cerâmica, tábuas, telhas de plástico, telhas de metal, telhas de amianto, dentadura, brinquedos de criança, vidros planos, canos plásticos, pedaço de fogão, dentre outros entulhos.
O prefeito em exercício Márcio Dreveck destacou a retomada do projeto como sendo de fundamental importância para estimular a conscientização da comunidade quanto a importância de se preservar os rios e o meio ambiente em geral.
"É importante que possamos tocar a consciência das pessoas, pois a questão ambiental é um dos fatores de maior importância na atualidade. Precisamos todos ter consciência de que devemos dar a correta destinação aos nossos resíduos, e basta somente a vontade de cada um, pois temos a coleta de resíduos comum, coleta seletiva, além do trabalho dos catadores de materiais recicláveis e ainda postos de coleta de materiais reciclados em alguns pontos do município. Se cada um fizer a sua parte nós poderemos mudar a nossa realidade".
Márcio ainda destacou as ações em prol do turismo integrado, as quais demandam um grande trabalho envolvendo os municípios do Quiriri e que surtirão efeitos muito positivos para toda a região, mas comentou que "o comportamento de cada cidadão pode influenciar diretamente na reação que o turista terá de nossa região. Imagine o turista passeando pelas áreas com rios aqui em São Bento do Sul e se deparar com lixo acumulado nas encostas. Seria muito prejudicial para a imagem do município e da região, por isso a importância da conscientização de cada um", concluiu o prefeito.
O Programa SOS Rio Limpo tem como objetivo geral sensibilizar os moradores no desenvolvimento de práticas adequadas à manutenção da qualidade da água, repassando o exemplo da ação do programa e divulgando as ações de melhoria, favorecendo as características da água de forma que atendam a manutenção da biodiversidade aquática e o bem estar social, por questões ambientais e de pela saúde pública.
Como objetivos específicos o Programa SOS Rio Limpo objetiva divulgar o programa, envolvendo e sensibilizando os moradores da cidade frente ao problema;
Distribuir folders informativos para a necessidade de construção de fossas sépticas conforme requisitos normativos, para as comunidades ribeirinhas;
Distribuir folders informativos especificando a necessidade de participação da comunidade e as causas consequentes do rio poluído, para as comunidades ribeirinhas;
Limpar os rios e suas margens, dos materiais lançados pelos moradores (pneu; plásticos; colchão; geladeira; latas etc.)
Destinar corretamente os resíduos, para reciclagem ou aterro sanitário, conforme sua classificação;
Manter vínculo participativo com a Cooperativa de Catadores de Material Reciclável de São Bento do Sul;
Minimizar as ações de enchentes causado pelo acúmulo de material na entrada de tubulações.
Minimizar os efeitos de poluição e comprometimento da qualidade da água;
Minimizar o odor dos rios causados pela poluição, principalmente de efluente cloacal;
Minimizar os problemas de contaminação por agentes parasitários; e
Melhorar as condições de vida existentes nos rios e garantir a sobrevivência de espécies do habitat.
Materiais e métodos - Cada rio apresenta suas particularidades conforme a ocupação de suas proximidades, sendo em primeiro momento observadas as denúncias que envolvem a bacia em questão.
O reconhecimento técnico prévio é importante para identificação dos locais de maior impacto causados pela ação antrópica, garantindo uma melhor atuação no local, com prévio entendimento do grau de risco; potencial poluidor; quantidade de residências abordadas; tempo necessário para realização da atividade; áreas de saídas; capital humano, e finalmente, a melhor definição de materiais e métodos necessários para cada realidade que suprem a disposição das parcerias com a disponibilidade de recursos.

Joberth Krause – MTB 4280SC
Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154

quarta-feira, 28 de junho de 2017

São Bento Sempre Limpa – Edição chega aos bairros Lençol e Alpino


São Bento Sempre Limpa – Edição chega aos bairros Lençol e Alpino

DATA DE INCLUSÃO: 28/06/2017 11:02
Neste sábado (1º) o Programa São Bento Sempre Limpa chega aos bairros Lençol e Alpino. Moradores e comerciantes que quiserem descartar materiais inservíveis como ferro, vidro, alumínio, metal, óleo de cozinha, garrafas, papel, isopor, latas e plásticos podem fazê-lo, colocando em frente às suas casas e comércios que equipes passarão, das 8 às 13 horas, para o recolhimento. 
Quem preferir deixar os materiais no ponto de concentração, o mesmo será instalado no pátio da Igreja católica do bairro Alpino, na Rua Veit Schwedler, ao lado do nº 17. Todos os itens recolhidos são destinados à coleta seletiva.
Programação: As próximas edições do Programa São Bento Sempre Limpa serão: 29 de julho nos bairros 25 de Julho e Schramm; 12 de agosto no Fundão, Mato Preto e Dona Francisca; 2 de setembro nos bairros Boehmerwald, Rio Negro e Colonial; 7 de outubro nos bairros Brasília, Centenário, Vila São Paulo e Bela Aliança; 11 de novembro em Serra Alta, Vila Pilz e Sertãozinho; e no dia 2 de dezembro nos bairros Cruzeiro, Oxford e Ponte dos Vieiras. 
O programa conta com o apoio e realização de: Defesa Civil, Samae, Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Secretaria de Obras, Cooperativa dos Catadores de Material Reciclável, SBS Reciclagem Eletrônica e Transresíduos.
Viviane de Vargas Miranda
Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154

segunda-feira, 19 de junho de 2017

COLETA SELETIVA e COLETA CONVENCIONAL


Resíduos Sólidos

Coleta de Lixo Domíciliar:


O lixo domiciliar gerado em São Bento do Sul é recolhido por meio de dois sistemas: coleta convencional e coleta seletiva.

 A coleta convencional dos moradores de São Bento do Sul é realizada pelo sistema de porta em porta pela empresa Transresíduos.
Em locais de difícil acesso aos caminhões coletores, os garis coletam a pé ou são disponibilizados contentores. Todo o resíduo misturado é destinado ao Aterro Sanitário Municipal de São Bento do Sul, localizado no Rio Vermelho, distante cerca de 10 quilômetros do centro da cidade.
Em geral, são recolhidos mensalmente em média 1.200 toneladas de resíduos para o aterro, e aproximadamente 8% são destinados para reciclagem.













Os materiais recicláveis secos (papéis, plásticos, vidros e metais) são doados para duas cooperativas de catadores: Cooperativa de catadores de Materiais Recicláveis e Coopercruzeiro.
 A coleta seletiva é feita uma vez por semana na maioria dos bairros. Confira o dia da coleta seletiva no seu bairro:





sábado, 17 de junho de 2017

DESTINO CORRETO ÀS CHAPAS DE RAIO-X

Por ocasião da 5a. edição 2017 do Programa São Bento Sempre Limpa, ocorrido nos bairros Centro e Progresso neste sábado (17), a internauta e nossa amiga querida Lisa Quint perguntou sobre o destino que deveria dar aos negativos (chapas) de exames de radiografia. Prontamente a querida amiga Bere Martins, funcionária do Hospital Sagrada Família no Setor de Radiografias, nos informou que estes materiais: exames de raios-x, podem ser entregues no hospital, no setor de RX  onde ela trabalha, e o próprio hospital se encarrega de dar o destino correto. Lembrou o quanto estes materiais são prejudiciais ao meio ambiente se descartados no lixo comum.

Vamos ler um pouco da matéria publicada no site http://www.ecycle.com.br, para entender:

"

O que fazer com chapas de raio-x?

Como as chapas de raio-x contêm prata, que pode contaminar lençóies freáticos e o solo, é recomendável que você não jogue diretamente no lixo. 
As radiografias, ou raio-x como são comumente conhecidas, são muito utilizadas no ramo da medicina, para identificar traumas e lesões nos pacientes. Como esses exames são muito importantes no histórico de saúde de uma pessoa, são comumente guardados durante muito tempo, e quando já não são tão úteis, acabam sendo descartados sem o cuidado apropriado. Mas essa forma despreocupada de jogar as chapas fora faz com que elas vão parar em aterros sanitários e causem diversos problemas, pois elas contaminam o solo e o lençol freático, além de ocasionarem outros problemas.
A importância da destinação correta das radiografias se dá por dois fatores. O primeiro é que elas são feitas a partir de uma chapa de um plástico chamado acetato. E a segunda é que essa placa é coberta por uma fina camada de grãos de prata, sensíveis à luz. O plástico gera riscos para o meio ambiente, demorando mais de cem anos para se decompor na natureza, sem contar que é um derivado direto do petróleo, cuja extração traz problemas ambientais em termos de gases estufa. Já a prata, assim como outros metais pesados, é altamente poluente e prejudicial à saúde, pois se acumula no organismo, causando problemas renais, motores e neurológicos. Sua liberação no ambiente é proibida pelas normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). A tabela abaixo apresenta as concentrações limites para a presença de metais pesados no meio ambiente estabelecidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente:
Resolução CONAMA no 357, 2005, Qualidade da Água

                              *Resolução CONAMA no 357, 2005, Qualidade da Água.

O perigo começa na revelação

Para tornar a imagem visível, é necessário que ela seja revelada a partir da reação de uma película de grãos de prata com a hidroquinona, um agente revelador. Em seguida, a película recebe um banho de carbonato de sódio e de bissulfito de sódio, que evita a decomposição da hidroquinona. Para que a imagem não se desfaça rapidamente, é utilizada uma solução fixadora de tiossulfato de amônio, sulfato de sódio ou EDTA (ácido etilenodiamino tetra-acético), que remove o excesso de prata existente e que poderia reagir com a presença de luz, comprometendo a imagem. A chapa então é lavada, para remover vestígios de produtos químicos que possam estragar a película, e, em seguida, seca.
Depois de realizado todo esse processo, restam ainda muitos resíduos químicos, que são encaminhados para empresas especializadas, onde são tratados.
Reciclagem
Acontece que a chapa de raio-x é reciclável e a importância do seu descarte correto vai muito além do que você imagina. Primeiramente, esse processo evita que os componentes tóxicos contaminem o meio ambiente. Outra questão importante é a possibilidade de reutilização dos materiais envolvidos. O processo de reciclagem das radiografias mais comum acontece da seguinte forma:
1) A radiografia é tratada em uma solução de hipoclorito de sódio 2,0% (água sanitária), em que são gerados: a) Um resíduo sólido que contém a prata; b) as películas radiográficas “limpas”;
2) Em seguida, o resíduo que contém a prata é tratado com hidróxido de sódio em água e aquecido durante 15 minutos, obtendo-se o óxido de prata misturado a impurezas;
3) O óxido de prata é então aquecido em uma solução de sacarose por 60 minutos, obtendo-se a prata impura sólida e que ainda não apresenta brilho;
4) Por fim, a prata é aquecida a 1000°C por 60 minutos em uma estufa, obtendo-se a prata pura e com o brilho.
Acompanhe esse passo a passo em vídeo, clicando no link abaixo: 
Com 2,5 mil chapas de raio-x, é possível obter de 450g a 500g de prata (cada quilograma é vendido por cerca de R$ 1,2 mil). Para comprar os equipamentos e montar a estrutura necessária, é preciso um investimento de R$ 300 mil. Com o plástico, a reciclagem de 300 kg do material gera um lucro de R$ 15 mil por mês. Os dados parecem muito vantajosos, mas é importante saber que toda empresa que quiser reciclar as radiografias deve funcionar de acordo com as licenças ambientais. A água contaminada com agentes químicos utilizada no processo de obtenção da prata não deve, de maneira alguma, ser lançada sem tratamento no esgoto. Portanto, a empresa deve ter a sua própria estação de tratamento de água, para evitar que o processo se torne ambientalmente inviável.
Com o plástico resultante do processo é possível fazer diversos objetos, como embalagens. Já a prata serve como matéria-prima para joalherias, por exemplo.
Alternativas
Com a inovação da tecnologia e a tendência para a geração de imagens digitais, os tradicionais exames de raios-x podem ser feitos e processados pelo computador. Os exames radiológicos são realizados diferentemente das radiografias convencionais: utiliza-se equipamentos de digitalização de imagens e o paciente é submetido a baixas doses de radiação.
Na radiologia digital, o filme convencional é substituído por uma película sensível aos raios-x, que é lida por um equipamento moderno de computação, gerando uma imagem de alta resolução. Os exames feitos a partir desta tecnologia produzem imagens de alta qualidade, que proporcionam maior visibilidade na detecção de patologias e, com isso, diminui a repetição de exames e a exposição dos pacientes à radiação ionizante.
Assim, as chapas não precisam mais ser guardados em casa, ocupando espaço, e nem correm mais o risco de serem destinados para os aterros. É possível guardar as imagens em CDs, servidores digitais ou discos rígidos.

Guarde com cuidado suas radiografias

Segundo os profissionais da saúde, a radiografia pode esclarecer se uma doença antiga já foi curada ou não. Você deve ter cuidado ao armazenar sua radiografia. Elas podem ser guardadas em sacos plásticos ou envelopes de papel, em temperatura ambiente, sem exposição solar (o calor ajuda na formação de vapores perigosos à saúde a partir dos químicos presentes na chapa de raio-x) e longe da umidade.  "

quarta-feira, 14 de junho de 2017

LIXÔMETRO - SAMAE São Bento do Sul

Você conhece o LIXÔMETRO, recurso disponível na página do Samae? Vale muito divulgar este recurso! Lá o SAMAE divulga a pesagem do lixo coletado na cidade de São Bento do Sul e através do link podemos buscar dados diários, disponíveis desde outubro/2015.

Olha abaixo a pesquisa que fiz, selecionando o mês de maio/2017. Depois, entra lá. Brinca um pouco. Mostra pras crianças. Mostra pros jovens. Mostra pros adultos!

Confira aqui os dados do Controle de Pesagem

Histórico



 



DiaQuilos de lixo recolhidosQuilograma por habitante
31/05/201747.740,000,60
30/05/201771.600,000,90
29/05/201757.480,000,72
27/05/201739.490,000,49
26/05/201749.470,000,62
25/05/201741.430,000,52
24/05/201742.020,000,53
23/05/201768.610,000,86
22/05/201755.650,000,70
20/05/201734.730,000,43
19/05/201746.470,000,58
18/05/201736.010,000,45
17/05/201718.750,000,23
16/05/201797.660,001,22
15/05/201759.960,000,75
13/05/201737.920,000,47
12/05/201745.660,000,57
11/05/201736.870,000,46
10/05/201742.680,000,53
09/05/201768.640,000,86
08/05/201752.500,000,66
06/05/201736.170,000,45
05/05/201764.130,000,80
04/05/201724.310,000,30
03/05/201757.940,000,72
02/05/201753.800,000,67
01/05/201733.870,000,42
Total:1.321.560,00
Média por habitante0,61


Água, esgoto, resíduos e projetos (SAMAE em A Gazeta de 14/06/2017)

 

São Bento Sempre Limpa chega aos bairros Progresso e Centro

São Bento Sempre Limpa chega aos bairros Progresso e Centro

Fonte: www.saobentodosul.sc.gov.br 

DATA DE INCLUSÃO: 14/06/2017 15:49
Os bairros Progresso e Centro recebem neste sábado (17), o Programa São Bento Sempre Limpa. Durante a ação, que ocorre das 8 às 13 horas, equipes percorrerão casas e comércios para recolher materiais inservíveis como ferro, vidro, alumínio, metal, óleo de cozinha, garrafas, papel, isopor, latas e plásticos. 
Quem preferir deixar os materiais o ponto de concentração será em frente à Verdureira Knopik, no Centro.  
Esta é a quinta edição do programa e, ao todo, já foram recolhidas 50 toneladas de materiais. Os itens são destinados à coleta seletiva.
Programação: As próximas edições serão: 1º de julho no Lençol e Alpino; 29 de julho no bairros 25 de Julho e Schramm; 12 de agosto no Fundão, Mato Preto e Dona Francisca; 2 de setembro nos bairros Boehmerwald, Rio Negro e Colonial; 7 de outubro no Brasília, Centenário, Vila São Paulo e Bela Aliança; 11 de novembro em Serra Alta, Vila Pilz e Sertãozinho; e no dia 2 de dezembro nos bairros Cruzeiro, Oxford e Ponte dos Vieiras. 
O programa conta com o apoio e realização de: Defesa Civil, Samae, Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Secretaria de Obras, Cooperativa dos Catadores de Material Reciclável, SBS Reciclagem Eletrônica e Transresíduos.
Viviane de Vargas Miranda
Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Ecoponto: mais de 850 kg de materiais em dois meses

Ecoponto: Mais de 850 kg de materiais em dois meses

DATA DE INCLUSÃO: 09/06/2017 16:30

Após dois meses de implantação, o Ecoponto, localizado no Parque do Samae, na Avenida dos Imigrantes, totaliza o descarte de 854,8 kg de materiais. Os itens, após pesagem realizada pelo Samae, responsável pela instalação do Ecoponto, são recolhidos pela Cooperativa de Catadores. 
Nesta quarta pesagem foram descartados: 52 litros de óleo de cozinha; 88,25 kg de vidros; 2,1 kg de garrafas pet; 10,8 kg de plásticos; 72,5 kg de papel; 1,1 kg de caixas longa vida; 2,3 kg de metais; 8,5 kg de eletrônicos; e 16,3 kg de pilhas e baterias. Totalizando 201,85 kg de materiais.
O Ecoponto é um contêiner adaptado com aberturas e compartimentos próprios para cada tipo de resíduo. Os materiais que poderão ser depositados são: Óleo de cozinha, pilhas e baterias, eletrônicos, vidro, plástico, garrafas pet e tampinhas, papel e papelão, embalagens longa vida e metais. 


Viviane de Vargas Miranda
Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154

PIS/COFINS – aquisição de desperdícios, resíduos e aparas não gera créditos

Aquisição de desperdícios, resíduos, e aparas não gera crédito de PIS e COFINS

Este foi o entendimento emitido pela Receita Federal, através da Solução de Consulta nº 99.059/2017 (DOU de 06/06), vinculada à Solução de Consulta COSIT nº 176/2017.

De acordo com a Receita Federal, é vedada a apuração do crédito de COFINS (art. 3º, II, da Lei nº 10.833, de 2003) e PIS (art. 3º, II, da Lei nº 10.637 de 2002), nas aquisições de desperdícios, resíduos ou aparas de plástico, de papel ou cartão, de vidro, de ferro ou aço, de cobre, de níquel, de alumínio, de chumbo, de zinco e de estanho, classificados respectivamente nas posições 39.15, 47.07, 70.01, 72.04, 74.04, 75.03, 76.02, 78.02, 79.02 e 80.02 da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados – TIPI, e demais desperdícios e resíduos metálicos do Capítulo 81 da Tipi, ainda que sejam adquiridos de pessoas jurídicas optantes pelo Simples Nacional.

Fundamentação legal:
Lei nº 11.196, de 2005, arts. 47 e 48;
Lei nº 10.637, de 2002, art. 3º, II; e
Lei nº 10.833, de 2003, art. 3º, II.